Home arrow Category Blog arrow Fabricando a vara de bambú.

Administrar

Banner

Você Sabia ?

Ofídios do Araguaia - É bastante variada a fauna ofídica existente no Vale do Araguaia.

Jaracuçu: Muito freqüente.
Cascavel: Rara.
Surucucu de fogo: Muito freqüente.
Jararaca: Muito freqüente.
Jibóia: Muito freqüente.
Caninana: Muito freqüente.
Sucuri: Muito freqüente.
Saramanta: Cobra de vidro, guapeba e cipó. 
Coral: Temos três tipos: coral de gomo preto e vermelho, coral de cabeça preta e ponta do rabo e corpo vemelhos e coral branca com gomos cobertos.    

Fabricando a vara de bambú. PDF Imprimir E-mail
Escrito por RicMira   
Qua, 25 de julho de 2007

Tamanho das varas
     Vá a um taquaral e selecione as varas que tenham no mínimo 5 metros. Corte, com uma serra de mão, uns 60 cm do pé da vara e 40 cm da ponta, reduzindo-a a 4m. Este é o tamanho ideal. A ponta deve ter 0,5cm de diâmetro.

Época do corte
     Essas varas devem ser cortadas entre os meses de setembro e dezembro. Escolha as de coloração amarelo-esverdeadas, pois nessa cor, elas estão semi-maduras e no ponto de corte.

Resistência das varas
     Coloque-as em pé, perpendicularmente ao solo e envergue a ponta fina até o meio da vara. Se quebrar, é uma vara fraca que provavelmente iria romper-se na hora que o Pacú grande fisgasse. Se não quebrar com essa manobra, é porque você está diante de uma vara elástica e resistente. Esse teste é fundamental na seleção.

Desbaste
     Para fazer a limpeza dos galhos, use uma serra pequena e proceda da seguinte maneira: serre parcialmente "os nózinhos", de baixo para cima, com um leve toque de cima para baixo, os galhinhos se desprenderão sem lascar. Assim que tirar todos os galhos, passe uma lima ou uma lixa, ali onde era o encontro dos galhos com a vara, eliminando alguma farpa e polindo o local.

Sapeca da vara
     Acenda uma pequena fogueira e passe a vara vagarosamente, com movimentos circulares, até notar que está "minando" uma água. Faça essa manobra vagarosamente da ponta, até o pé da vara. Essa desidratação por fogo vai eliminar o líquido que fica entre as fibras e elas ficarão mais unidas, dando mais resistência à vara. Você pode aproveitar enquanto ela está quente e endireitá-la de alguma tortuosidade que ela tenha de origem.

Sebo de gado
     Passe sebo de boi de ponta a ponta e deixe essas varas ao sol pelo menos 8 horas (das 10 às 18:00hr). No fim da tarde, peque um pano seco e limpe-as uma a uma, tirando o excesso de sebo que o sol derreteu. Amarre essas varas em feixe e guarde-as à sombra durante 15 dias. É importante guardá-las sempre em feixes, para mantê-las retas.

Óleo de Peroba
     Depois de 15 dias à sombra, separe-as e passe óleo de peroba, é para ocluir os poros e repelir os insetos, como carunchos, que corroem as varas. Guarde-as novamente em feixes, à sombra, até o dia em que você for pescar. À partir de agora, você terá varas de fácil manejo, super-resistentes, de muita durabilidade e de uma leveza inacreditável.

     Se você quer formar um taquaral no sítio ou em sua chácara, proceda assim: vá a um taquaral, de outubro em diante, no começo das chuvas, e arranque mudas e raízes, que ficam ao redor dos pés das varas. Transplante-as para um terreno seco em covas rasas. Faça quatro covas com a distância de 2 metros uma da outra. Nunca faça esse plantio em terrenos alagados ou em brejos.

 

Vantagens

Custo Zero
   Ninguém cobra de um pescador as varas de pesca. O que você pode fazer é, quando voltar da pescaria, levar um peixinho para o dono do taquaral.

Flexibilidade
   A vara caipira é, no mínimo, duas vezes mais resistente que a industrializada que é seca e quebradiça.

Peso
   A vara caipira tem a metade do peso de uma vara industrializada.

Comprimento
   Quatro metros é o tamanho ideal pois, na hora de chicotear a vara, ela terá um avanço de 8 metros em relação ao bordo do barco.

Cabresto
   O cabresto, onde amarramos a linha, pode ser feito de monofio (linha de pedreiro).

Última atualização ( 2007-08-02 19:01:34 )